Contato via e-mail

Cancelar

A importância da neuroarquitetura na criação dos ambientes

A neuroarquitetura se refere ao estudo da neurociência aplicada à arquitetura. De maneira simplificada, significa o impacto que o ambiente físico pode causar ao nosso cérebro. Quando aplicada em nossa rotina diária, ela é capaz até mesmo de proporcionar melhorias para a nossa qualidade de vida.

Até mesmo quem não atua no ramo da arquitetura sabe que os ambientes, quando projetados adequadamente, são capazes de influenciar o nosso comportamento. Isso pode ocorrer em casa, no trabalho e até mesmo naquele restaurante que não abrimos mão de visitar algumas vezes.

A neuroarquitetura já é muito conhecida entre os especialistas do ramo e como o próprio nome diz é a relação entre a neurociência e a arquitetura. De maneira prática, seu significado está na composição de ambientes e como isso impacta diretamente no nosso dia a dia.

Um ambiente pode causar motivação ou o oposto, por isso trabalhar em um escritório mal projetado, escuro e sem vida pode causar quedas no rendimento do profissional. Por isso, a neurociência é tão importante na criação de ambientes.

Se você ainda não sabe a importância da neuroarquitetura na criação de ambientes, então ao final desse artigo vai entender e não irá mais abrir mão da sua utilização nos ambientes que você passa boa parte do seu tempo.

Aqui você vai entender:

  • O que é neuroarquitetura?
  • Importância da neuroarquitetura na criação dos ambientes
  • Relação entre biofilia e neuroarquitetura e o mercado imobiliário
  • Como aplicar a neuroarquitetura na minha casa/vida

O que é neuroarquitetura?

Como já citado, a arquitetura de um ambiente pode ser decisiva e desempenha um papel muito importante na forma como as pessoas irão se sentir estando ali. Quando um projeto residência é realizado é muito comum que os compradores peçam um local em que se sintam confortáveis, não é mesmo?

Esse fenômeno está totalmente ligado com a neuroarquitetura, ciência que proporciona bem-estar para quem frequenta ambientes bem projetados, seja residências, escritórios ou prédios públicos.

O campo de estudo é feito por arquitetos, assim como neurocientistas e profissionais que atuam em outras diversas áreas para entender como nosso cérebro se relaciona com a arquitetura e como o projeto pode nos tornar mais felizes. Isso diz muito sobre a importância da neuroarquitetura na criação dos ambientes.

Importância da neuroarquitetura na criação dos ambientes

A neurociência está cada vez mais presente em grandes projetos no mundo todo e com ela é possível citar diversos exemplos sobre como projetos arquitetônicos, que atuam com o estudo, podem interferir no sentimento das pessoas.

Um grande exemplo disso são os hospitais projetados com o objetivo de ajudar na cura dos pacientes. Entre eles, vamos destacar alguns para que você entenda como o projeto é importante.

Centro Oncológico Kraemer

O período de tratamento de doenças como câncer pode ser muito desgastante, podendo fazer com que o paciente passe muito mais tempo dentro do hospital do que no conforto do seu lar.

Com a utilização da neuroarquitetura, o Centro Oncológico Kraemer foi projetado com o objetivo de tornar todo o projeto menos doloroso, ou seja, causando uma sensação mais relaxante de acordo com as circunstâncias que o pacientes estão.

Em suas salas, durante o tratamento os pacientes encontram grandes janelas que estão em frente a um jardim. Além disso, o ambiente também conta com paredes repletas de plantas já que a natureza estimula a melhora do dia para todos.

Foto: © Bruce Damonte

Centro de Saúde Diane L. Max

O hospital conta com um ambiente moderno e iluminado. O projeto foi realizado para que fosse notado como uma nova e importante parte da comunidade. Além disso, entre os seus objetivos também está uma maneira de oferecer uma experiência nova para quem está no ambiente hospitalar.

Os corredores do hospital são elegantes e o projeto conta com muitas cores, o que torna o espaço muito mais agradável fazendo com que o ambiente hospitalar possa causar outros sentimentos, além daqueles que o paciente e seus acompanhantes chegaram ali.

Centro Médico da Universidade de Nova Orleans

Assim como diversos locais de Nova Orleans, o Centro Médico Memorial também foi cercado por água por conta do Katrina. Assim, causou a falta de energia e alguns pacientes morreram. Ali próximo, o Charity Hospital, conseguiu retirar os pacientes, porém também foi destruído.

Após a tragédia, o Charity foi substituído e no seu lugar, foi realizado um projeto para sobreviver a catástrofes naturais. Com isso, o hospital consegue sobreviver até 7 dias após um grande furacão mesmo sem suprimentos externos. Além disso, conta com rampas para ambulâncias que podem ser acessadas com o uso de notes.

O espaço anterior oferece camas além de salas privadas com luz natural e uma bela vista para todo o exterior do local. Tudo isso, é possível com projetos feitos com a utilização da neuroarquitetura.

Para que um projeto de neuroarquitetura seja realizado com qualidade, é preciso ainda que haja a aplicação dos 5 sentidos na arquitetura que você acompanha abaixo.

  • Visão;
  • Tato;
  • Audição;
  • Olfato;
  • Paladar.

Como utilizar os cinco sentidos humanos na arquitetura?

Visão

Para um design arquitetônico bem qualificado, ele deve ser favorável a visão e isso se dá com a utilização de elementos no espaço como as cores e claro a iluminação presente no ambiente e isso influencia a percepção estética.

O projeto vai muito além, por isso, deve ser pensado em cada detalhe como a definição da luz correta para aquele ambiente e isso faz com que haja um melhor aproveitamento do espaço, obtendo mais conforto e rendimento das atividades exercidas naquele cômodo. Uma iluminação correta é capaz de oferecer bem-estar e conforto para todos que frequentam aquele ambiente.

Tato

O toque é essencial para que o conforto esteja presente no ambiente, por isso a utilização de materiais de qualidade é fundamental para que o local traga uma sensação de relaxamento, principalmente, após um dia de grande estresse.

Um bom exemplo disso é o uso de pisos que se adaptam ao clima do ambiente já que algumas opções estão divididas entre “quentes” e “frias” o que pode causar uma sensação desagradável dependendo da temperatura. Por isso, a escolha de materiais corretos é essencial.

Audição

Os sons muitas vezes tem a capacidade de trazer um relaxamento, além disso algumas pessoas remetem às boas lembranças de acordo com que estavam ouvindo quando ocorreu. Por isso, uma decoração com barulhos relaxantes são uma ótima opção.

A sonoridade do local pode se dar também com a aplicação de uma acústica qualificada. Uma boa música pode trazer boas sensações, como por exemplo, a tranquilidade no ambiente.

Olfato

O cheiro de um ambiente pode ser uma das características mais marcantes do local, afinal nada melhor do que chegar em uma residência ou escritório em que o aroma está agradável, não é mesmo?

Por isso, trabalhar os aromas de um local é um dos pontos principais para garantir sensações agradáveis ao olfato e assim, harmonia aos demais espaços presentes no ambiente. Para isso, pode se usar velas aromatizantes, plantinhas e flores que possuam um cheiro bom e etc.

Paladar

Somente alguns ambientes conseguem trabalhar com o paladar, como por exemplo, a cozinha. Nela, é possível estimular o apetite com o uso de cores quentes como o vermelho e o laranja, por exemplo.

Além disso, deixar alimentos como frutas e legumes expostos fazem o paladar no ambiente ser cada vez mais presente. Um local que seja capaz de unir os sentidos traz muito mais harmonia ao ambiente e isso está muito ligado com o processo da neuroarquitetura.

biofilia e neuroarquitetura

Foto: Vertical Garden

Relação entre biofilia e neuroarquitetura e o mercado imobiliário

O mercado imobiliário é um setor que está em constante evolução, por isso traz consigo estratégias capazes de oferecer aos seus clientes imóveis, sejam eles residenciais ou corporativos, sensações de bem-estar e conforto. E é nesse sentido que os projetos estão cada vez mais incorporando a biofilia e a neuroarquitetura.

Como já citamos, a neuroarquitetura é a junção da neurociência e da arquitetura e isso resulta no impacto que os ambientes podem trazer ao nosso cérebro e de maneira consequente, no comportamento humano.

A biofilia, por sua vez, é definida pela tendência natural de sempre nos voltarmos para coisas vivas como a natureza, por exemplo. Cientificamente está comprado que quando estamos em contato com a natureza temos melhores resultados em todos os campos da nossa vida.

Quando passamos a maior parte do nosso tempo em determinados ambientes, há uma urgência maior em estarmos em contato com elementos naturais, por isso, a utilização de plantas em ambientes se torna cada vez mais importante, além disso, locais que estão próximos a jardins ou árvores também representam bons resultados.

Pensando em ambientes corporativos, a qualidade de vida e o bem-estar pode oferecer muito mais produtividade e isso gera consequentemente, o crescimento da empresa. Elementos naturais no ambiente de trabalho oferecem um grande impactos nos resultados, diminuindo o stress e ansiedade e isso gera motivação e aumento na criatividade.

Como aplicar a neuroarquitetura na minha casa/vida

Agora que você já sabe a importância da neuroarquitetura na criação dos ambientes, chegou o momento de saber como aplicá-la na sua casa e também no seu dia a dia. Se trata de elementos simples, mas que fazem toda a diferença.

No ambiente de trabalho, por exemplo, o foco são os tons frios e mais azulados. Eles são capazes de estimular a concentração. Além disso, o uso de móveis retos e que busquem linhas geométricas angulosas também são uma boa maneira de se concentrar nas atividades diárias.

Para quem está em busca de aguçar sua criatividade, os tons quentes alaranjados são os mais indicados e para o conforto, tons terrosos com objetos em madeira são uma boa opção.

Mas, se você deseja utilizar a neuroarquitetura na sua casa, existem boas maneiras de fazê-la. Móveis arredondados, por exemplo, são capazes de trazer aconchego por conta das suas formas mais orgânicas. Além disso, trazer plantas para dentro de casa oferecem ao cérebro uma sensação de bem-estar.

A iluminação ainda, é uma perfeita maneira de relaxar e para isso, as luzes amareladas são as mais indicadas. Já as brancas, oferecem mais atenção, por isso seu uso em escritórios e cozinhas são adequados. Lembre-se, excessos nunca é um bom sinal, por isso, tons neutros devem estar presentes no ambiente.

Agora que você já entendeu a importância da neuroarquitetura na criação de ambientes, que tal incorporar algumas das dicas na sua casa ou no seu escritório?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Canais de venda

                       canal de venda dos imoveis são pauloCanal de vendas 11 3181 6082
corretor e atendimento online Atendimento Online
                       atendimento via whatsapp Atendimento por Whatsapp Atendimento por Whatsapp
                           atendimento venda imóveis por e-mail Atendimento E-mail

Fique por dentro!

Assinando nossa newsletter você fica por dentro de tudo que acontece com os nossos projetos e recebe todas as dicas do nosso blog em primeira mão.

Online
E-mail